Quem sou eu

Minha foto
Pr. Elifaz - Auxiliar e conselheiro, Faculdade Bacharel em Teologia, em atividade pelo ministério da Igreja de Deus. Faculdade direito incomp.

Saudação

... não te esqueças nem te apartes das palavras da minha boca. Não a abandones e ela te guardará; ama-a, e ela te protegerá.
Prov. 4:4-6

"O SENHOR guardará a tua entrada e a tua saída, desde agora e para sempre." (Salmos 121 : 8)

Deus o abençoe, fique na paz de Cristo nosso Salvador e amigo leal, o exemplo de vida a ser seguido, para um viver feliz.

E salvação eterna garantida a todo aquele que crê e obedece.


Capitais do Brasil

quinta-feira

A MÍDIA NÃO MOSTRA MORTE AOS CRISTÃOS!




Cristãos queimados vivos por muçulmanos sunitas da Nigéria.
Notícias como essa, que deveriam estampar a primeira página dos jornais, são solenemente ignoradas pela grande mídia.
Vamos divulgar!!!
Merece a atenção e divulgação de todo aquele que professa a fé em Jesus Cristo !!!
Um verdadeiro absurdo! Triste demais, mas a pura realidade!

Ser cristão parece fácil num país como o Brasil, mas ser cristão em lugares onde o cristianismo é proibido...
Extremistas muçulmanos assassinam brutalmente 50 cristãos dentro da casa de pastor na Nigéria,mais um trágico caso de violência contra cristãos, um grupo de extremistas muçulmanos invadiu a casa de um pastor, nas dependências da Igreja de Cristo da Nigéria, assassinando brutalmente sua família e mais 50 cristãos que estavam presentes na casa no momento do ataque, que aconteceu no dia 07 deste mês.
As famílias que estavam na casa do pastor já eram refugiados de outra perseguição, na vila Maseh, eles buscaram abrigo na casa pastoral para escapar das investidas e do clima de tensão no lugar onde viviam.
Os homens iniciaram o ataque invadindo a residência do pastor e atirando contra as pessoas, após isso, eles atearam fogo na casa, onde muitos foram queimados ainda vivos.
A autoria do ataque foi assumida pelo Boko Haram, grupo radial islâmico que tem sido responsável por uma onda de ataques contra cristãos na Nigéria. Eles disseram que os cristãos no país “jamais terão paz novamente”, caso 
não neguem a religião cristã e se convertam ao islamismo.




Clique e veja: http://www.youtube.com/watch?feature=fvwp&NR=1&v=XzIyhxtNwZw

Pastor Youssef Nadarkhani convertido ao cristianismo

é condenado à morte no Irã

Clique e veja: http://www.youtube.com/watch?v=FNUIPun_RAc&feature=player_embedded

Não negou sua fé em Jesus Cristo, exemplo de fidelidade.
Clique e veja: http://www.youtube.com/watch?feature=endscreen&NR=1&v=FGcjX3RBslA
AOS QUE QUEREM COMPROVAR ESSA PERSEGUIÇÃO, É SOMENTE  EXAMINAR AS HISTORIAS ANTIGAS, E SERÃO COMPROVADAS AO AVERIGUAR, E PERDURA ATÉ HOJE DE VARIAS FORMAS. ANTES DE CRISTO, PERSEGUIRAM E MATARAM OS PROFETAS, E TAMBÉM A JESUS CRISTO OS APÓSTOLOS E A MAIORIA DOS CRISTÃO, MUITOS FORAM PRESOS E MORTOS POR AÇOITES, DECAPITADOS, QUEIMADOS, APEDREJADOS,TIRANDO A PELE TODA DO SEU CORPO, CRUCIFICADOS, LANÇADOS NAS ARENAS AOS LEÕES, PARA DIVERSÃO DO POVO. FORAM TORTURADOS E MORTOS DE FORMAS CRUÉIS, E OS QUE FAZIAM ISSO, INDUZIA O POVO, INVENTANDO MENTIRAS, DIZENDO QUE MERECIAM SER PRESOS E MORTOS, POIS TINHAM COMETIDO ALGUM TIPO DE DELITO. PERGUNTO QUAL CRIME OS PROFETAS COMETERAM ? POIS OS MESMOS SÓ APREGOAVAM OS ENSINOS DE DEUS !     E JESUS CRISTO QUAL CRIME COMETEU ? SÓ ENSINOU A AMAR A DEUS SOBRE TODAS AS COISAS E AO PRÓXIMO COMO A SI MESMO, ENSINOU A NÃO MATAR, E A NÃO ROUBAR, E NÃO COBIÇAR NADA, E NÃO SER SOBERBO, E NEM VAIDOSO, E NEM ORGULHOSO, E NEM MENTIR, ENSINOU A NÃO ENGANAR A NINGUÉM, ENSINOU PARA A HUMANIDADE A TER PENSAMENTOS BONS E ATITUDES BOAS, MESMO ASSIM FOI CONDENADO E MORTO COMO A UM MALFEITOR. E OS APÓSTOLOS QUE MAL FIZERAM ? E OS MUITOS CRISTÃOS MORTOS, E OS DE HOJE NA FOTO QUEIMADOS, QUE MAL FIZERAM ? SÓ OBEDECERAM AOS ENSINOS DE CRISTO, E SABIAM OQUE JESUS LHES DISSE: PERSEGUIRAM A MIM , PERSEGUIRAM A VÓS TAMBÉM, E SEREIS ODIADOS, PRESOS E MORTOS, POR  ME AMAR E OBEDECER E PREGAR MEUS ENSINOS.  E NÃO NEGARAM A SUA FÉ EM CRISTO, E POR ISSO FORAM MORTOS. NENHUMA DAS  ADVERSIDADES QUE JÁ TIVEMOS, SE COMPARA AS QUAIS ELES PASSARAM. TESTIFICARAM A PALAVRA A QUAL É JUSTOS ENSINOS DE DEUS, E PROTESTA CONTRA TUDO QUE É INJUSTIÇA E CORRUPÇÃO, AFRONTANDO OS PODEROSOS E CORRUPTOS DA ÉPOCA, OS QUAIS ACHANDO QUE IRIAM PERDER O PODER E MORDOMIAS DE SUAS CORRUPÇÕES, DEVIDO AO CRESCIMENTO DE CRISTÃOS, OS QUAIS PROFESSAVAM  A JUSTIÇA DE DEUS, ENTÃO OS PODEROSOS E CORRUPTOS, MAQUINARAM PARA ELIMINAÇÃO DOS CRISTÃO, COM MEDO QUE A JUSTIÇA DE DEUS TOMASSE O REINADO DELES.  E POR ISSO  MATARAM  MILHARES DE CRISTÃOS. FORAM MORTOS POR CRÊR, OBEDECER, E DIVULGAR OS JUSTOS ENSINOS DE DEUS (PALAVRA) A QUAL PROTESTA CONTRA TUDO QUE É INJUSTIÇA. NÃO AMARAM SUAS VIDAS MESMO SENDO MORTOS, FIZERAM POR AMOR, ESPERANÇA, FÉ, NADA NEGARAM. JUSTIÇA E SALVAÇÃO DE DEUS CHEGOU A NÓS. ESTAMOS CORRESPONDENDO? E FAZENDO COMO ELES? FAÇAMOS A DIFERENÇA TAMBÉM. HOJE A CENA REPETE NA TERRA, DE VARIAS FORMAS. AOS PODEROSOS E CORRUPTOS, QUE PRATICARAM E PRATICAM  ESTAS ATROCIDADES, E AOS MUITOS CORRUPTOS NO MUNDO, E  DESOBEDIENTES AOS ENSINOS DE CRISTO, SAIBAM QUE O JUÍZO DE DEUS É CERTO, TÃO CERTO COMO EXISTE NOITE E DIA, E COMO 1 MAIS 1 SÃO 2, NADA FOGE AOS OLHOS DE DEUS, E A RECOMPENSA É CERTA ! CÉU OU INFERNO ! NESTA TERRA E NA FUTURA ! LEMBRANDO NA FUTURA SERA ETERNA !. POR ISSO ENQUANTO HÁ TEMPO, SE CORRIJA, CONVERTENDO, CRENDO E OBEDECENDO  AOS ENSINOS DE JESUS CRISTO, E PRATIQUEM A JUSTIÇA ENQUANTO HA TEMPO.
Perseguição aos cristãos é o nome dado aos maus tratos físicos ou psicológicos, incluindo agressões e mortes sofridas por cristãos por causa da sua  na pregação de Jesus. Estas perseguições foram levadas a cabo na Antiguidade não somente pelos judeus, de cuja religião o Cristianismo era visto como uma ramificação, mas também pelos imperadores do Império Romano, que controlava grande parte das terras onde o Cristianismo primitivo se distribuiu, e onde era considerado uma seita. Tal perseguição pelos imperadores teve fim com a legalização da religião cristã por Constantino I, no início do século IV.
Nos últimos séculos, os cristãos foram perseguidos por outros grupos religiosos, incluindo muçulmanos ehindus, e por Estados ateístas como a União Soviética e a República Popular da China.
Perseguições aos cristãos também vem ocorrendo em dezenas de países [1] como IrãUzbequistão,MaldivasCuba e Eritreia.[2]
Novo Testamento informa que os cristãos primitivos sofreram perseguição nas mãos das lideranças judaicas de seu tempo, começando pelo próprio Jesus Cristo.
Os primeiros cristãos nasceram e se desenvolveram sob o judaísmo, na medida em que o cristianismo começa como uma seita do judaísmo. As primeiras perseguições judaicas aos cristãos devem ser entendidas, então, como um conflito sectário – judeus perseguindo judeus por causa da heterodoxia. Várias outras seitas judaicas da época, no entanto, como osessênios, foram tão heterodoxas quanto a seita cristã.
De acordo com os textos do Novo Testamento, a perseguição aos seguidores de Jesus continuou após a sua morte. Pedro e João foram presos por lideranças judaicas, incluindo o sumo-sacerdote Anás, que os libertou mais tarde (Atos 4.1-21). Numa outra ocasião, todos os apóstolos foram presos pelo sumo-sacerdote e outros saduceus, mas, segundo o relato neotestamentário, teriam sido libertados por um anjo (Atos 5.17,18). Após escaparem, os apóstolos foram novamente capturados pelo Sinédrio, mas, desta vez, Gamaliel – um fariseubem conhecido da literatura rabínica – convenceu o concílio a libertá-los (Atos 5.27-40).
No século VI Dhu Nwas, rei judeu do Himyar (no Yemen), moveu um massacre contra os cristãos da península Arábica em 518 (ou 523) d.C., destruindo as cidades cristãs de Zafar e Najaran e queimando suas igrejas e matando quem não renunciasse ao cristianismo. O evento diminuiu consideravelmente a população cristã na região, perecendo talvez 20 mil pessoas [3] e foi lembrada na época de Maomé, sendo referida no Alcorão (al-Buruj:4).

Perseguição romana

Perseguições narradas no Novo Testamento

De acordo com o Novo Testamento, a crucificação de Jesus foi autorizada por autoridades romanas e executada por soldados romanos. Há também o registro de que Paulo, em suas viagens missionárias, foi várias vezes preso por autoridades romanas. O texto do Novo Testamento não relata o que aconteceu com Paulo, mas a tradição cristã afirma ter sido ele decapitado em Roma, sob o Imperador Nero no ano de 54

Perseguição sob o Império Romano

Perseguição sob Nero, 54-68


Cristãos sendo usados como tochas humanas, na perseguição sob Nero, porHenryk Siemiradzki, Museu Nacional, CracóviaPolônia1876.
O primeiro caso documentado de perseguição aos cristãos pelo Império Romano direciona-se a Nero. Em 64, houve um grande incêndio em Roma, destruindo grandes partes da cidade e devastando economicamente a população romana. Nero, cuja sanidade já há muito tempo havia sido posta em questão, era o suspeito de ter intencionalmente ateado fogo. Em seus AnnalesTácito afirma que "para se ver livre do boato, Nero prendeu os culpados e infligiu as mais requintadas torturas em uma classe odiada por suas abominações, chamada cristãos pelo populacho"[4].
Ao associar os cristãos ao terrível incêndio, Nero aumentou ainda mais a suspeita pública já existente e, pode-se dizer, exacerbou as hostilidades contra eles por todo o Império Romano. As formas de execução utilizadas pelos romanos incluíam crucificação e lançamento de cristãos para serem devorados por leões e outras feras selvagens. Os Annales de Tácito informam: "... uma grande multidão foi condenada não apenas pelo crime de incêndio mas por ódio contra a raça humana. E, em suas mortes, eles foram feitos objetos de esporte, pois foram amarrados nos esconderijos de bestas selvagens e feitos em pedaços por cães, ou cravados em cruzes, ou incendiados, e, ao fim do dia, eram queimados para servirem de luz noturna".[5]

Perseguição até o início do quarto século

Em meados do século II, não era difícil encontrar grupos tentando apedrejar os cristãos, incentivados, muitas vezes, por seitas rivais. A perseguição em Lyon foi precedida por uma turba violenta que pilhava e apedrejava casas cristãs [6]Luciano de Samósata fala-nos de um elaborado e bem-sucedido embuste perpetrado por um “profeta” de Asclepius, no Ponto, fazendo uso de uma cobra domesticada. Quando os rumores estavam por desmascarar sua fraude, o espirituoso ensaísta nos informa, sarcasticamente:
...ele promulgou um edito com o objetivo de assusta-los, dizendo que o Ponto estava cheio de ateus e cristãos que tinham a audácia de pronunciar os mais vis perjúrios sobre ele; a estes, ele os expulsaria com pedras, se quisessem ter seu deus gracioso.
— Luciano de Samósata[7],
As perseguições estatais seguintes foram inconstantes até o terceiro século, apesar do Apologeticum de Tertuliano (197) ter sido escrito ostensivamente em defesa de cristãos perseguidos e dirigido aos governantes romanos.
A primeira perseguição que envolveu todo o território imperial aconteceu sob o governo de Maximino, apesar do fato de que apenas o clero tenha sido visado. Foi somente sob Décio, em meados do segundo século, que a perseguição generalizada – tanto ao clero quanto aos leigos – tomou lugar em toda a extensão do Império. Gregório de Tours trata deste tema em sua História dos Francos, escrita no final do século VI:
Sob o imperador Décio, muitas perseguições se levantaram contra o nome de Cristo, e houve tamanha carnificina de fiéis que eles não podiam ser contados.Bábilasbispo de Antioquia, com seus três filhos pequenos, Urbano, Prilidan e Epolon, e Sistobispo de Roma, Laurêncio, um arquidiácono, e Hipólito tornaram-se perfeitos pelo martírio porque confessaram o nome do Senhor.
— Gregório de Tours[8],
Apesar de confundir as épocas de perseguição (pois menciona, ao mesmo tempo, personagens que foram martirizados sob Maximino, Valeriano e Décio), o testemunho de Gregório mostra o quanto o tema da perseguição marcou o imaginário da Igreja nos primeiros séculos.

A última prece dos mártires cristãos, de Jean-Léon Gérôme (1883).
O clímax da perseguição se deu sob o governo de Diocleciano e Galério, no final do século terceiro e início do quarto. Esta é considerada a maior de todas as perseguições. Iniciando com uma série de quatro editos proibindo certas práticas cristãs e uma ordem de prisão do clero, a perseguição se intensificou até que se ordenasse a todos os cristãos do Império que sacrificassem aos deuses imperiais, sob a pena de execução, caso se recusassem. No entanto, apesar do zelo com que Diocleciano perseguiu os cristãos na parte oriental do Império, seus co-imperadores do lado ocidental não seguiram estritamente seus éditos, o que explica que cristãos da Gália, da Espanha e da Britânia praticamente não tenham sido molestados.
No início do quarto século em 210 o imperador Geta mandou perseguir os cristãos,tortura-los e puni-los com morte.
A perseguição continuou até que Constantino I chegasse ao poder e, em 313, legalizasse a religião cristã por meio do Édito de Milão, iniciando-se a Paz na Igreja. Entretanto, foi somente com Teodósio I, no final do século quarto, que o cristianismo se tornaria a religião oficial do Império.
Edward Gibbon, em seu Declínio e Queda do Império Romano, estima que o número de mortos nesta última perseguição tenha chegado a mil e quinhentos, "num sacrifício anual de 150 mártires".

Perseguição fora do Império Romano (até o séc. V)

Entre os persas

Em virtude das hostilidades entre o Império Romano e o Império Sassânida, os cristãos acabaram por ser perseguidos pelos persas a partir do ano 337, por serem tidos como traidores amigos de uma Roma cada vez mais cristianizada. Em 341Sapor II ordenou o massacre de todos os cristãos na Pérsia.

Entre os godos

Nos séculos terceiro e quartomissionários cristãos (especialmente Ulfilas) levaram muitos godos à conversão ao cristianismo ariano. Isto provocou uma reação em favor da religião gótica. Assim, o rei gótico Atanarico iniciou uma política de perseguição aos cristãos, levando muitos deles à morte[9].

Perseguição Hindu aos cristãos da Índia


Uma menina cristã que foi queimada durante violência religiosa em Orissa[10]
Na Índia, há um aumento na quantia de violência perpetrada por Nacionalistas Hindus contra cristãos, reproduzindo os princípios que assentam os conflitos religiosos: duas crenças distintas.[11] o aumento da violência anticristã na Índia tem uma relação direta com a ascendência do Partido Bharatiya Janata (BJP).[12] Incidentes de violência contra os cristãos têm ocorrido em muitas partes da Índia. É especialmente prevalente nos Estados de GujaratMaharashtra,Uttar PradeshMadhya Pradesh e Nova Deli.[12] O Vishva Hindu Parishad (VHP), o Bajrang Dal, e os Rashtriya Swayamsevak Sangh (RSS) são as organizações mais responsáveis pela violência contra os cristãos.[13] Essas organizações, muitas vezes referidas coletivamente sob o nome de sua organização encoberta, o Sangh Parivar e meios de comunicação locais estaiveram envolvidos na promoção de propaganda anticristã em Gujarat.[13] O Sangh Parivar e organizações relacionadas afirmaram que a violência é uma expressão de "raiva espontânea" de "vanvasis" contra "conversões forçadas" através de atividades realizadas pelos missionários. Estas alegações foram contestadas pelos cristãos[14] descrito como uma crença mítica[15] e propaganda por Sangh Parivar;[16] os objetos Parivar em qualquer caso, todas as conversões como uma "ameaça à unidade nacional".[17]
Como filhos obedientes, não vos conformando com as concupiscências que antes havia em vossa ignorância;
Mas, como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em toda a vossa maneira de viver;
Porquanto está escrito: Sede santos, porque eu sou santo.
E, se invocais por Pai aquele que, sem acepção de pessoas, julga segundo a obra de cada um, andai em temor, durante o tempo da vossa peregrinação,
Sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver que por tradição recebestes dos vossos pais,
Mas com o precioso sangue de Cristo, como de um cordeiro imaculado e incontaminado,
O qual, na verdade, em outro tempo foi conhecido, ainda antes da fundação do mundo, mas manifestado nestes últimos tempos por amor de vós;
E por ele credes em Deus, que o ressuscitou dentre os mortos, e lhe deu glória, para que a vossa fé e esperança estivessem em Deus;
Purificando as vossas almas pelo Espírito na obediência à verdade, para o amor fraternal, não fingido; amai-vos ardentemente uns aos outros com um coração puro;
Sendo de novo gerados, não de semente corruptível, mas da incorruptível, pela palavra de Deus, viva, e que permanece para sempre.
Porque Toda a carne é como a erva, E toda a glória do homem como a flor da erva. Secou-se a erva, e caiu a sua flor;
Mas a palavra do Senhor permanece para sempre. 
1 Pedro 1:14-25

Nenhum comentário:

Postar um comentário